sexta-feira, 18 de maio de 2012

A corrida da vida


  E derrepente ao se olhar no espelho você se depara com a aparência de uma pessoa mais madura, de alguém que aparentemente já passou por muita luta na vida, e ainda em frente ao espelho olha para os olhos refletidos nele, olha fixamente para aqueles olhos, os seus olhos, tentando assim chegar a alma.

  Ao examinar a alma, depara-se com uma nova mulher, isto é, uma menina que deixou sua meninice e tornou-se uma mulher, com uma série de responsabilidades, sentimentos e situações novas a serem vividas.

  Não gosta das mesmas roupas, as antigas parecem sem graça e/ou imaturas demais para usar nessa nova vida, e infelizmente ou felizmente algumas pessoas que eram suas amigas ficaram assim como as roupas antigas, sem graça, não combinam mais com você, outras pessoas são como aquelas roupas de antigamente, da qual quem as tinha guardava-as por toda a vida.

  É bom sentir essa mudança toda em você, sentir-se bem consigo mesma, mais bonita, mais mulher, mas em alguns momentos sente falta da menina de antes e de suas meninices, o que foi que aconteceu que toda aquela vida de menina esvaiu-se?

  Mudar, isso não fazia parte de seus planos, mudar suas amizades, isso também não estava nos planos, tornar-se uma pessoa mais madura, serena, mais pé no chão, não estava nos seus planos a curto prazo, ou pelo menos você não imaginou que essa coisa de crescer seria assim tão natural.

  Todas as circunstancias do seu dia a dia colaboraram para isso, coisas que aconteciam e que você não entendia o porque revelam ser peças de um quebra-cabeça, que monta a imagem de uma mulher, a mesma que você vê refletida no espelho.

  As vezes o coração aperta de saudades, saudades de não ter tanta responsabilidades, saudades de não ter aprendido que nem sempre as pessoas falam a verdade e que nem sempre podemos nos ver livres daquilo que não gostaríamos de viver, mas que é preciso ser forte, mesmo quando não se tem forças, se não; é deixado para trás, e o tempo passa e não tem piedade.

  Mas tudo isso teria sido mais doloroso se essa mudança fosse uma escolha sua, ela não vingaria, pois não seria uma coisa verdadeira, não era natural.

  Aprendi que para cada coisa tem o seu tempo, não adianta a gente bater o pé e gritar pra Deus "Eu quero isso agora!", como uma criança mimada, mas sim orar, esperar com paciência enquanto continua caminhando.

  Continuar a caminhar sempre e sem olhar para trás, esse é o segredo, parar ou resolver render-se e abandonar essa corrida para a Vida não adianta, simplesmente temos que caminhar, parar para procurar alguém para amar também não adianta, essa pessoa irá encontrar com você enquanto estiver caminhando, pois ela tem o mesmo objetivo que o seu, caminhar em busca da Vida, então, diante das dificuldades e dos anseios do coração, para que parar? Para que desperdiçar seu tempo e se atrasar nessa corrida da Vida?

  Mudar, amadurecer, novas responsabilidades, faz parte dessa caminhada, com o tempo tornamo-nos mais experientes, e a corrida não fica mais tão dolorosa como no princípio.

  O que aconteceu no passado já foi, continue a caminhar sem olhar para trás, não se preocupe em encontrar alguém para caminhar ao seu lado, ele irá aparecer em seu caminho, também é um caminhante a procura de uma companhia, e os dois irão correr juntos em busca da coroa da Vida.

Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta,
tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus.
Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem se desanimem.
Na luta contra o pecado, vocês ainda não resistiram até o ponto de derramar o próprio sangue.
Vocês se esqueceram da palavra de ânimo que ele lhes dirige como a filhos: "Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão,
pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho".
Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai?
Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos.
Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos!
Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade.
Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados.
Portanto, fortaleçam as mãos enfraquecidas e os joelhos vacilantes. 
Hebreus 12:1-12




Nenhum comentário:

Postar um comentário