quinta-feira, 20 de junho de 2013

Não posso me calar


   Nem sempre as coisas saem como queremos, nem sempre as pessoas falam o que queremos ouvir, ou posso afirmar que na maioria das vezes as pessoas falam e fazem coisas que não desejamos.

  Mas o que fazer quando por escolhas dos outros você é obrigado a viver uma vida que nunca escolheu, presenciar coisas que jamais sonhou e nem age para que isso aconteça? O que fazer quando você vê que por culpa de outras pessoas você está caindo lentamente por um poço, mas sem cessar e por mais que lute para voltar a superfície precisa que quem está te puxando para baixo comece a tentar subir a superfície também.

  Dizem por ai que quem muito se afasta um dia deixa de fazer falta, falam dessas pessoas que escolhem se afastar como se elas fossem as vilãs da história, mas será mesmo? Posso estar errada, mas no momento a única conclusão que chego é que não há outra coisa a se fazer além de se afastar de algo que te faz mau, podemos até tentar mudar a situação, mas se vemos que ela não muda o que mais fazer além de se afastar?

  É decepcionante aprender que a vida não é como queremos, que as pessoas não nos obedecem, e que nem todas as pessoas são boas. É decepcionante perceber que tem filho que não ama a mãe, que tem gente tão egoísta ao ponto de não se importa com nada além de dinheiro, isso é muito frustrante. É terrível ver aquela história linda que você tinha em sua mente sobre as pessoas virar uma história de terror, mais terrível ainda é perceber que você é a unica pessoa que notou que o conto de fadas virou terror.

  O que fazer diante de todas essas coisas? Eu ainda não sei, talvez isso faça parte de crescer e amadurecer.

  Sentimos vontade de fugir, fugir para um outro lugar, covarde? Não, pois o caminho escolhido de fuga pode ser bem pior do que ficar estagnado, mas ainda assim é alguma mudança.

  Talvez seja porque somos jovens, temos muita vida correndo no sangue, não gostamos de ser conformados, assistir a desgraça em nossa vida e ficar parado, ver um vilão fazendo coisas más e não reagir para confronta-lo e extermina-lo.

  Será mesmo que a culpa é de nossa juventude e inconformismo?

  Eu não sei, mas sei que não posso ficar calada diante a tantos fatos absurdos que vejo e pensar que isso faz parte da vida, que somos injustiçados, sofredores e que isso não tem solução, me recuso a pensar assim, pois meu coração grita por mudança, e ele gritará até que ela aconteça.

  Conformismo, paralisia não!

Nenhum comentário:

Postar um comentário