terça-feira, 6 de novembro de 2012

Aprender a dominar a língua



  Quem nunca falou demais e acabou passando vergonha?

  Sem dúvidas todos já passaram por uma situação dessas, falar tanto e acabar dizendo o que não deveia, ou então ser "vítima" de sua sinceridade e acabar arranjando confusão ou magoando alguém.

  Lembro-me de uma vez em que estava numa lanchonete com minha tia e um bêbado apareceu por lá e começou a falar o quanto eu era bonita, assim que ele me deu uma oportunidade de responder eu disse "pena que não posso dizer o mesmo", ele perguntou se estava chamando ele de feio e começou a chorar. Hahahahaha, ao mesmo tempo que é triste é engraçado. Mas onde eu estava com a cabeça para iniciar uma discussão com um bêbado? Essa mania de ser sincera...

  Quem nunca ficou se achando a ultima bolacha do pacote, falou demais e passou vergonha pois o que estava falando era completamente errado? Aiaiai....

  Até o insensato passará por sábio, se ficar quieto, e, se contiver a língua, parecerá que tem discernimento. 
Provérbios 17:28
  Esse versículo é um verdadeiro tapa na orelha não é mesmo?

  Depois de passar bastante vergonha consegui empregar esse versículo em minha vida. Em muitos momentos nossa vontade é socar, xingar ou derramar o nosso "balde" de sinceridade, mas a melhor coisa a se fazer naquele momento em especial é ficar calado. Claro, há momentos para todas as coisas, porém na maioria das vezes falamos o que não é necessário naquele momento e provocamos uma situação ruim.

  Uma vez, conheci algumas mulheres que estavam jejuando a fala, isso mesmo queridas, a fala! Eu achei essa ideia uma maravilha e decidi jejuar isso também, orei consagrei o jejum a Deus, mas quem disse que aguentei falar somente o necessário, palavras de amor e o que edifica? Não aguentei um dia! E não foi apenas uma vez que tentei fazer esse jejum...

  Como podemos aprender no livro de Tiago, a língua é um perigo!

  Venhamos aprender a usar nossa língua para abençoar e vivificar, venhamos usa-la com sabedoria.

  Meus irmãos, não sejam muitos de vocês mestres, pois vocês sabem que nós, os que ensinamos, seremos julgados com maior rigor.
Todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo.
Quando colocamos freios na boca dos cavalos para que eles nos obedeçam, podemos controlar o animal todo.
Tomem também como exemplo os navios; embora sejam tão grandes e impelidos por fortes ventos, são dirigidos por um leme muito pequeno, conforme a vontade do piloto.
Semelhantemente, a língua é um pequeno órgão do corpo, mas se vangloria de grandes coisas. Vejam como um grande bosque é incendiado por uma simples fagulha.
Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniqüidade. Colocada entre os membros do nosso corpo, contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno.
Toda espécie de animais, aves, répteis e criaturas do mar doma-se e é domada pela espécie humana;
a língua, porém, ninguém consegue domar. É um mal incontrolável, cheio de veneno mortífero.
Com a língua bendizemos ao Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus.
Da mesma boca procedem bênção e maldição. Meus irmãos, não pode ser assim!
Acaso pode sair água doce e água amarga da mesma fonte?
Meus irmãos, pode uma figueira produzir azeitonas ou uma videira, figos? Da mesma forma, uma fonte de água salgada não pode produzir água doce. 
Tiago 3:1-12

Nenhum comentário:

Postar um comentário