domingo, 12 de julho de 2015

10 coisas que aprendi com meus vinte e poucos anos


  Enquanto escrevo esse texto tenho vinte e um anos de idade, pode não ser muito tempo de vida para as pessoas mais maduras, mas nos últimos anos, principalmente depois dos dezoito (quando terminei a escola) aprendi muitas coisas sobre a vida e até sobre mim mesma que talvez se eu soubesse antes algumas situações que vivi podiam ter sido diferentes.

  Nesse post escreverei dez coisas que aprendi nesses vinte e poucos anos de vida, são elas:

1- Ninguém vai te amar mais do que a sua família. 
  Pois é, família é uma coisa engraçada. As vezes brigamos e juramos nunca mais falar com aquele parente mas pouco tempo se passa e quando vemos estamos juntos novamente como se nada tivesse acontecido. Família de sangue não se escolhe, mas aprendi que há algum laço poderoso que une essas pessoas e que não importa o que aconteça esse laço não se quebra. Aprendi que posso ter amigos, mas ninguém vai me amar e querer mais do que a minha família.

2- Nem todos os amigos são para sempre.
  Na escola, igreja ou até mesmo internet conhecemos muitas pessoas que estiveram em momentos marcantes de nossas vidas, fazemos planos com elas de que serão madrinhas em nosso casamento, que iríamos nos juntar com nossas melhores amigas e alugar um apartamento e viver sem regras, entre outros planos malucos, porém a verdade é que a escola termina, o tempo começa a passar, cada uma passa a ter suas obrigações e uma vida diferente, o tempo para os antigos amigos diminui até que um dia você percebe que nem sabe como aquela pessoa está hoje, algumas casaram, tiveram filhos e você não foi convidado para ser madrinha, não porque aquela pessoa falhou com você, mas simplesmente por que o tempo passou e você percebeu que de repente vocês não tinham mais nada em comum para continuar com aquela amizade.

3- Nem sempre o problema é a outra pessoa.
  Infelizmente sempre teremos que passar por algum tipo de problema, parece que quando você resolve um surge outro porque deve haver alguma lei da vida que os físicos não descobriram que nos obriga a sempre ter um problema a ser resolvido. Por muito tempo achei que a causa dos meus problemas eram culpa de uma pessoa, e percebi que posso até estar com algum problema por causa de alguém mas eu é que determino como vou enfrenta-lo. Aprendi que não consigo mudar ninguém mas posso mudar a mim mesma, desde então tento trabalhar meus pensamentos e sentimentos para tratar das situações de uma maneira diferente e seguir em frente.

4- Tem que assumir novas responsabilidades.
  Passamos boa parte da infância com brincadeiras que imitam a vida de adulto, e vivíamos repetindo a frase "quando eu crescer eu vou..." e então nós crescemos e descobrimos que as coisas não são tão fáceis como pensávamos e até mesmo temos momentos que não sabemos o que queremos da nossa vida. Crescer tem seus lados positivos e negativos, e com essa nova fase temos novas responsabilidades como contas para pagar, construir uma carreira, cuidar de si mesmo, da família e lidar com os problemas do cotidiano. Tudo isso sem poder perder a cabeça e chutar o balde, porque afinal agora tudo o que você faz traz consequências.

5- Não podemos esquecer das coisas simples da vida. 
  Com tantas responsabilidades e coisas novas acontecendo conosco, as vezes acabamos envelhecendo demais, tendo somente um lado adulto e deixando a nossa essência de lado. Nossa essência é o que nos faz diferentes e especiais, é aquele jeitinho de criança que se encanta com um dia de sol, com um sorriso ou uma piada boba. Temos que crescer e assumir nossas responsabilidades, mas também não podemos deixar o nosso lado "criança" de lado, pois sem ele a vida fica dura demais e provavelmente iremos acabar com depressão ou algum outro tipo de problema.

6- Namorar é bom, mas nem tudo são flores.
  Eu só comecei a namorar com dezoito anos, e passei a minha adolescência sonhando com o mar de rosas de um namoro. É verdade, namorar é muito bom, é uma das melhores coisas que há em crescer, porém ser um casal, estar comprometido com alguém e pensando em construir uma família com aquela pessoa não é fácil, nem sempre a opinião dele será como a sua e nem a sua como a dele, e isso certamente gerará alguns atritos e você terá que aprender a lidar com essas situações e principalmente podar a si mesmo, pois estar com alguém exige entrega, um constante auto conhecimento e estar sempre disposto a melhorar seu jeito de ser, e isso não é nada fácil.

7- A pressão da mídia.
  Antes eu não sentia a pressão do corpo e da moda sobre as mulheres, mas desde que sai da escola percebi que infelizmente se você não segue o padrão imposto pelas mídias você tem dificuldades em encontrar um bom emprego e até mesmo em ter amigos, sim, isso é uma coisa muito dura para escrever aqui no blog e até mesmo triste, mas aprendi nesses anos que infelizmente as pessoas gostam de se identificar com a outra e admira-la e para muitas se você não segue as "novidades do momento" você não será tão bem visto, lembrado ou até mesmo querido. Eu nunca liguei para roupas caras e tantas vaidades, mas infelizmente para manter um bom emprego e ser bem relacionada sou obrigada a usar roupas da moda, estar maquiada e com o cabelo arrumado, mas confesso que há dias que eu conto as horas para poder chegar em casa e colocar meu pijama velho.

  E não venham de "mi mi mi" pois todos nós seguimos alguma moda, todos nós escolhemos seguir um estilo, e para você que está lendo e diz não ter um estilo, sim...você tem, mesmo que sejam vários estilos diferentes dependendo do seu humor.

  Toda essa pressão de sempre estar "apresentável" segundo o padrão da sociedade muitas vezes é um saco para mim, e percebi tristemente que chega a ser algo que exclui as pessoas, uma eterna guerra de vaidades onde separamos aquelas pessoas que se vestem de um jeito que gostamos como "aceitáveis", e aquelas que tem um estilo diferente muitas vezes nem nos relacionamos. Dúvida? Pense agora naquela garota que curte funk e é adepta do estilo "piriguete" ou aquela outra menina que é gótica.

8- As vezes o machismo é um saco.
  As vezes acho o machismo incompreensível em alguns assuntos como o fato de nem sempre você poder usar a roupa que quer porque tem medo de ser assediada na rua, se você é mulher sabe bem do que estou falando.

  Eu não consigo entender porque os homens, e para meu espanto até mesmo mulheres culpam a mulher por ela estar grávida sem ser casada, falam de uma maneira que parece que aquela mulher que será uma mãe solteira cometeu um crime, é culpada por ele e até mesmo tiram do homem a responsabilidade, as vezes até parece que aquele bebê foi feito sozinho. Eu não consigo entender como certas coisas podem ser vergonhosas só para mulheres e para os homens seja considerado um motivo de orgulho, não consigo entender porque se um homem beija dez mulheres numa noite ele está sendo um garanhão e se uma mulher faz isso ela está sendo uma vadia. Bem... com certeza esse é um assunto muito polêmico e que merece um post só para ele, prometo escrever sobre isso posteriormente, mas é algo que passei a enxergar mais na sociedade e que me incomoda muito.

9- Quando crescemos não podemos ser mimadas.
  Essa é uma de minhas maiores dificuldades, fui criada pela minha mãe e por meu padrasto, a filha mais nova de dois irmãos onde a menor diferença de idade entre nós é de dez anos, então imaginem como eu fui mimada a minha vida toda, confesso que ainda sou, porém também confesso que isso me atrapalha, pois tenho que podar a mim mesma (super mimada) para enfrentar os novos desafios e lidar com as pessoas, principalmente com o namorado, pois fui criada tendo tudo o que eu queria e agora preciso aprender a conquistar as minhas coisas e que não posso controlar todas as pessoas, as vezes isso me frusta por que percebo que a vida não é nem um pouco como eu imaginava e isso desanima em alguns momentos, porém também aprendi que não tenho escolha se não seguir em frente.

10- Sonhar é importante.
  Como eu disse no item anterior, as vezes a vida é um saco, nos decepcionamos, nos sentimos sem chão e nos perguntamos qual é a razão da nossa existência. Pois é amigas, a vida é um saco, por isso é preciso que tenhamos sonhos e metas a serem alcançados, pois são eles que nos mantém com esperança e nos fazem ter força de vontade para suportar as situações difíceis e tentar viver da melhor maneira possível. Nem sempre nossos planos vão dar certo, e se encontrar um obstáculo tão grande que impeça de torna-lo real, não tem problema, siga em frente e crie novos planos, sem isso você provavelmente ficará em depressão, pois todos nós temos que ter um motivo para viver.

  Sim, aprendi várias outras coisas mas dentre todas; essas são as que mais me marcaram até agora,e você o que aprendeu que não está nessa lista?

  Atenção queridas leitoras, para quem ainda não sabe, eu criei um perfil do blog no Facebook, onde sempre atualizo e converso com vocês, se você gosta do blog e quer se manter atualizada de todas as novidades, então me adicione no Facebook clicando aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário