terça-feira, 7 de maio de 2013

Minha opinião sobre a saga Crepúsculo e a religiosidade do povo "cristão"


  Escritos por Stephanie Meyer a Saga Crepúsculo sempre foi motivo de muita discussão no meio cristão. Eu por muito tempo condenei os livros e os filmes, porém resolvi entender melhor a história dos personagens dessa saga que ao mesmo tempo que é tão amada pelos jovens também é odiada por muitas outras pessoas.

  Eu li os quatro livros da série, e o que ficou em mim é a coragem dos personagens. Sim os religiosos irão me crucificar afirmando que os vampiros são demônios, que a autora fez pacto com o diabo e todas aquelas teorias que estamos cansados de ouvir.

  Antes de aprofundar mais sobre o assunto do livro, devo deixar claro outros aspectos que vivo analisando.  Ainda hoje o povo cristão é muito visto (e em alguns momentos tem sido) como um povo mais humilde e ignorante, alheio aos assuntos cotidianos e normais da vida de um ser humano, e isso ao mesmo tempo que me deixa triste, me deixa irritada, claro que devemos amar a Deus a cima de todas as coisas, e amar ao próximo como a nós mesmo, mas não podemos nos deixar levar pela religiosidade e por costumes que nada tem a ver com a Bíblia.

  Em tudo na vida devemos ser ponderados (claro que não estou falando em amar), muitas vezes deixamos a religiosidade invadir a nossa vida como um câncer e nos tornamos velhos chatos, que colocam fardos pesados em si mesmos e insistem em jogar mais fardo nas costas de outros crentes, talvez seja por isso que tantas pessoas se desviam.

  Hoje os religiosos, ou como diz o meu querido amigo Luis Gustavo Gaona "os patrulhas" condenam todos os cristãos que escutam músicas seculares, assistem filmes, leem livros, gente, qual é....vivemos no planeta Terra, não dá para ser alienado, se for levar em consideração todas as histórias de terror que os "patrulhas" contam não comeríamos nem maionese.

  É possível sim amar a Deus de verdadeiro coração, ter um coração puro e ouvir músicas seculares, ir ao cinema, enfim, não ser um alienado.

  Infelizmente algumas igrejas invés de serem um lugar de adoração verdadeira, ensino sobre a Palavra e comunhão entre os irmãos tem se tornado um grande clube social, se não um circo, onde todos tem que seguir as "regras de boa convivência", aderir a todos aqueles achismos e práticas que nada tem a ver com o evangelho e mais parecem ter saído de um terreiro de macumba, todos aqueles atos proféticos e tipos de unção que nunca foi descrito na Bíblia e a idolatria aos pastores pop stars.

  Não podemos viver mais no escuro, cegos, e ser como massa de modelar nas mãos de "pastores" que na verdade não são pastores mas sim manipuladores da fé.

  Estou feliz por congregar em uma igreja, da qual é verdadeiramente seguidora do evangelho e que nos ensina a Palavra e a pensar, e não a imitar os pastores pop stars, tenho pastores que são pessoas humildes, mas que amam de verdade e ensinam as outras sobre o amor de Deus. E isso é a coisa mais preciosa, basicamente o que Deus nos pede é amar, amando de verdade conseguiremos cumprir todos os outros mandamentos.

  Tinha que dizer sobre todas essas coisas, pois depois que meditei sobre elas e em tudo que aprendi, não me intimidei com a curiosidade e o desejo de ler os livros da série Crepúsculo, e eu como uma amante de histórias posso dizer que adorei. É claro, tem muitas histórias negativas sobre esses livros que podemos ler na internet, mas como tudo na vida, é necessário saber "peneirar" as coisas e reter o que é bom.

  Os livros contam a história de um amor impossível entre Bella Swan e Edward Cullen- um vampiro- e todas as renúncias e perigos que eles passaram para viver esse amor. Aprendi com Edward Cullen que o amor é mais forte do que todos os maus desejos que você pode ter e que vale muito a pena lutar pelo amor e até renegar a si mesmo e sua essência má-que tem sede de sangue humano- e viver um grande e verdadeiro amor. Com Bella aprendi que podemos ser melhores e mais fortes que pensamos ser e que o amor nos faz ser alguém melhor do que um dia imaginamos ser.

  Claro que não podia deixar de falar do meu querido Jacob que me ensinou a ser leal e suportar as dificuldades por maior que elas sejam. E claro, toda a família Cullen me ensinou o amor e a unidade que deve haver entre uma família, seja ela de sangue ou escolhida.

  Essas foram algumas das coisas boas que absorvi dos livros, não me arrependo de ter lido e levarei a história deles e os personagens em meu coração.

  Minha opinião para você que não sabe se lê ou não os livros é para você mesma analisar se isso será bom ou não para você, não direi para ler e nem para não ler, mas se acaso sentir a vontade converse com Deus e com você mesma e veja se isso será bom.

  Deus abençoe.

4 comentários:

  1. Parabens Daniele, seu texto muito bem elaborado e que nos faz refletir sobre o que realmente somos. Gostei muito. Quero voce junto comigo e minha esposa, vamos poder trocar bastantes informaçoes sobre alguns temas legais....
    Pr. Rafael Augusto

    ResponderExcluir
  2. Menina,estou digitando com os pés,porque minhas mãos estão ocupadas aplaudindo!!!
    Já fui de uma igreja dessas ai que tudo é ato profético,caso queira conversar sobre,estarei aqui...vi muita coisa esquisita,fora da palavra acontecendo!
    Ótimo texto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahaha que ótimo que gostou! Pois é, Renata...infelizmente acho que todos nós já frequentamos esse tipo de igreja alguma vez na vida. Fico feliz por ter gostado! Obrigada ;)

      Excluir